menu

O Método Harada (Parte 2)

A APLICAÇÃO DO MÉTODO HARADA

A única revolução que se encontra no método Harada é aquela que opera dentro de cada um. Trata-se da interiorização de um processo muito simples, constituído por cinco passos essenciais para que a transformação se efective.
 
1º DEFINIÇÃO DO OBJECTIVO
É aquilo que se pretende ou quer alcançar. Aquilo que se sabe que se é capaz de alcançar. Aquilo pelo qual se está disposto a trabalhar e a fazer sacrifício. Com esforço, com desafio, com realidade!

2º TRABALHAR OS PROPÓSITOS OU VALORES
Eles são a energia por detrás do objectivo. É a compreensão do propósito que dá significado ao objectivo. E quanto mais significado tiver o propósito maior será a força para alcançar o objectivo. Esta "força", para ser eficaz e fortalecer o carácter, tem também que ter significado para os outros - família, amigos e a comunidade.

3º A ANÁLISE
A análise (ou auto-análise) é o primeiro passo para a construção da autoconfiança. Na auto-análise cada um, ou cada equipa, verifica como se sente, verifica que ajudas ou apoios necessita. Verifica que comportamentos necessita mudar. Verifica que contra-medidas necessita para evitar fracassos do passado. Verifica como replicar os sucessos do passado.

4º O PLANO DE ACÇÃO
O plano de acção é estruturado e é escrito. Porque escrever compromete. Escrever treina a mente e é um processo criativo. A estrutura base do plano de acção são os cinco formulários do método Harada.

5º A IMPLEMENTAÇÃO
Tudo aquilo que foi definido, analisado e estruturado tem que passar à prática, à acção. Como o objectivo tem que ter significado para a vida, o plano de acção tem que estar integrado com a própria vida. A implementação tem que ser conseguida com o equilíbrio dos quatro aspectos da vida (ie, mente, habilidades, saúde e vida diária).
 
Toda a simplicidade exposta sobre o método Harada é planeada sobre os cinco formulários já referidos, que serão o suporte da jornada para alcançar o sucesso no objectivo.

O plano de acção é constituído por:
  • As 33 questões para a autoconfiança;
  • O formulário do objectivo;
  • A carta das 64 janelas;
  • A folha de verificação de rotinas;
  • A agenda/diário.

Este plano é um compromisso pessoal e tem que passar a fazer parte integrante da vida. O Método Harada não é uma "App" que se corre no intervalo para o café ou na paragem do transporte público. É antes de mais é um compromisso que cada um toma para consigo próprio. Um compromisso escrito e estruturado, planeado e sujeito a revisões.
 
AS 33 QUESTÕES PARA A AUTOCONFIANÇA
É um formulário simples que tem como base 33 palavras. Essas 33 palavras são a primeira auto-avaliação e toma uma forma quantitativa. Esta auto-avaliação "obriga" já a estabelecer contra-medidas para as avaliações mais baixas. O objectivo é interiorizar e realizar acções para reforçar a autoconfiança.

Como é um método quantitativo é fácil rever, avaliar novamente e quantificar o progresso. A revisão dos formulários é uma rotina obrigatória para o sucesso no objectivo.

Neste formulário cada um define aquilo a que está disposto para se tornar mais auto-confiante. Esta é uma característica presente no método Harada - cada um toma a responsabilidade do plano que define.

As contra-medidas definidas podem alimentar a Lista de Rotinas, a Carta das 64 Janelas ou mesmo a Agenda/Diário.
 
O FORMULÁRIO DO OBJETIVO 
Este formulário é o coração do Método Harada. É neste formulário que se estrutura a informação sobre o objectivo a que cada um se propõe. É nele que se escrevem os valores e propósitos que suportam o objectivo que se pretende alcançar.

O formulário expõe claramente a importância que é dada ao bem comum na jornada para alcançar o sucesso no objectivo. Cultivar o espírito "jiri-soku-rita" (o meu benefício é igual ao teu benefício) é um dos principais objectivos que o Método Harada pretende alcançar. Esta é uma forma de manter o sucesso na dimensão humana.
 
A CARTA DAS 64 JANELAS
É um formulário interessante pela sua simplicidade. Numa simples representação matricial de janelas ocupamos a janela central com o objectivo. Essa janela fica rodeada de outras oito janelas. Oito áreas de intervenção para alcançar o sucesso no objectivo. É nessas oito áreas que deve estar o foco da acção.

As tarefas definidas são ações ou rotinas. Para cada tarefa é necessário definir a data de início e sempre que possível a data de fim. Para cada rotina é necessário definir a data de início e a frequência de execução.

As tarefas e as rotinas vão alimentar a Agenda/Diário e a Folha de Verificação de Rotinas.
 
A FOLHA DE VERIFICAÇÃO DE ROTINAS
A folha de verificação de rotinas é uma check-list de controlo e avaliação quantitativa dos compromissos assumidos. Esta folha é alimentada pelos três formulários já referidos ou ainda por qualquer outra fonte capaz de contribuir para o sucesso no objectivo. Este formulário tem também como finalidade quebrar a ligação aos velhos hábitos e a definir novos hábitos. Hábitos positivos, saudáveis e capazes de conduzir a pessoa ao sucesso no objectivo.
 
A AGENDA/DIÁRIO 
É uma agenda estruturada segundo o método Harada.

Esta agenda "obriga" ao planeamento das actividades do dia-a-dia e à evidenciação das actividades mais importantes. De uma forma clara "obriga" a ter escrito o que é importante fazer em cada dia e que contribui para o sucesso no objectivo. 

A agenda/diário é provavelmente o formulário mais exigente. Aquele que exige mais perseverança na sua utilização. Aquele que obriga a fazer diariamente um planeamento de vida. A utilização da agenda/diário tem que ser uma nova rotina. Uma rotina que tem que ser treinada para se tornar forte e não ser deixada para trás perante uma qualquer adversidade.
 
CONCLUSÃO
Takashi Harada construiu e estruturou o método para melhorar os resultados desportivos dos seus alunos. Como consequência conseguiu também melhorar a vida dos alunos e seus familiares com clara influência na comunidade.

O processo de construção do método não foi imediato. A tentativa-erro, e vasta vezes o erro, fizeram parte do caminho percorrido. Num ambiente escolar degradado e onde o valor da vida era algumas vezes muito baixo, Takashi Harada assumiu uma postura proactiva e perseverante de tal forma que em três anos (não em três dias!) conseguiu levar os seus alunos a transformar a pior escola de Osaka em atletismo, na melhor.

Ele não tinha campeões na sua equipa - teve que os construir. 

O método Harada visa desenvolver pessoas. Para tornar as pessoas capazes de decidir, capazes de agir e capazes (especialistas) na sua actividade profissional, qualquer que ela seja. Robert Bosch dizia que "todas as atividades são importantes, mesmo as mais simples e modestas".

Com o método Harada, alcançar o sucesso no objectivo só depende de cada um. Mas depende sempre da dedicação, da perseverança, do trabalho árduo, do pensamento positivo, da aquisição de rotinas e hábitos saudáveis e do equilíbrio entre o trabalho e a vida.

Não fará tudo isto parte do Pensamento Lean?  Desenvolver as pessoas, torná-las confiantes, responsáveis e capazes é o objetivo de qualquer líder.
Conseguir o equilíbrio, onde cada pessoa se sinta preenchida e realizada com o trabalho que desenvolve (mesmo que simples e modesto) é algo que terá consequências - o sucesso da organização.
 
Rui Luís e João Paulo Pinto (https://www.linkedin.com/today/author/0_36zCMGZ-kbCITtJtIm8hVJ?trk=prof-sm)
25 Mar, 2016
2016 © CLT Services   |   Resolução de conflitos de consumo   |   Developed by Inovlancer 2016 © CLT Services
Resolução de conflitos de consumo
Developed by Inovlancer
DGERT
close
Em caso de litígio o consumidor pode recorrer a uma Entidade de Resolução Alternativa de Litígios de consumo:

CICAP – Tribunal Arbitral de Consumo
Rua Damião de Góis, 31, Loja 6, 4050-225, Porto
+351 22 550 83 49 / +351 22 502 97 91
cicap@cicap.pt
Mais informações em Portal do Consumidor www.consumidor.pt